quinta-feira, 20 de julho de 2017

Atenção, prefeito João Doria e vereadores: Não basta resolver o Parque Augusta! São Paulo exige mais!

Que se tenha encontrado uma solução para a implantação do Parque Augusta, após décadas de indefinição entre o poder público e a iniciativa privada, é verdadeiramente louvável.

Porém, que não se tome esta ação isolada na região central de São Paulo como atenuante para um problema crônico em diversas regiões da cidade, que é a carência de áreas verdes e a repetição de impasse idêntico entre as construtoras e a Prefeitura em inúmeros terrenos de bairros mais periféricos.

Dois exemplos, na zona leste: o Parque da Vila Ema e o Parque Verde da Mooca, na área da antiga Esso.

Projeto de Lei que cria cotas raciais e étnicas em conselhos de SP repercute mal nas redes sociais

Em pleno recesso parlamentar, uma divulgação nas páginas da Câmara Municipal de São Paulo vem causando verdadeiro furor na internet: trata-se do PL 187/2017, que propõe a criação de cotas étnicas e raciais em espaços de participação e controle social da cidade, ou de "poder e decisão", como justifica o projeto de autoria do vereador Eduardo Suplicy (PT), que tem como coautores Isa Penna (PSOL), Eduardo Tuma (PSDB), Sâmia Bomfim (PSOL) e Toninho Vespoli (PSOL).

Se aprovada, a nova lei (uma cota de 25% para negros e índios na composição de todos os conselhos municipais) valeria para qualquer situação que envolva a participação popular como, por exemplo, os conselhos de Saúde e de Educação da cidade de São Paulo.

Porém, ao noticiar que "PL quer criar cotas raciais e étnicas na Câmara e conselhos", a publicação oficial do Legislativo paulistano mais confunde do que explica. Esse "na Câmara" - equivocado, diga-se - foi fatal.

A (des)informação piora ao postar que "na justificativa do projeto, dados de 2016 mostram que os negros ainda representam a minoria dos candidatos a vereador e prefeito. Dos 5.496 prefeitos eleitos, 70,2% são brancos e 29% negros, incluindo todos aqueles que se autodeclaram de cor preta (1,6%) e parda (27,4%)."

Ou seja, a leitura da nota com esse trecho mal explicado "na Câmara e conselhos" faz crer que pode haver cotas até para a eleição de vereadores. Era só o que faltava!!! O projeto não trata nada disso, mas vai explicar que focinho de porco não é tomada... A reação dos internautas ao  projeto, como se vê no print abaixo, não foi das mais tolerantes e receptivas. (Câmara Man)





quarta-feira, 19 de julho de 2017

Política: A vergonha nossa de cada dia... Faxina!

A gente tenta. O PPS, em parceria com a FAP (Fundação Astrojildo Pereira), por exemplo, acaba de realizar o seu 2º Encontro de Jovens para formação política, no Rio de Janeiro, com temas como: ação coletiva, associativa e partidária; política e democracia no mundo contemporâneo; a trajetória da modernização brasileira; os desafios da mudança econômica na atualidade; da revolução à democracia: uma esquerda a inventar; e os desafios da democracia no Brasil. Mas, cá entre nós, atropelados pelos fatos e pelo noticiário, como manter a esperança em dias melhores?

A compra de votos na CCJ da Câmara dos Deputados e o troca-troca de indicados pelos partidos para poupar o presidente Michel Temer de uma investigação foram simplesmente vexatórios. Nem precisa explicar muito: basta ver o emblemático pronunciamento de Paulo Maluf atestando a idoneidade de Temer. Aonde chegamos?

Se não bastasse, que reforma política que se preze pode ficar nas mãos de um relator como o deputado federal Vicente Cândido (PT), denunciado por corrupção, que conhecemos bem desde a Câmara Municipal de São Paulo (um horror!) e faz propostas como um fundo público eleitoral de R$ 3 bilhões e a "emenda Lula", blindando da prisão inexplicáveis 8 meses antes da eleição qualquer criminoso-candidato? 

Essa gente perdeu a vergonha na cara! Não se preocupam mais nem em esconder essas manobras ridículas, absurdas e mafiosas. O Brasil vive um momento crucial: precisamos decidir se estamos do lado desses políticos-bandidos ou, ao contrário, de quem pretende fazer uma faxina geral na política. Força à Lava Jato! Cadeia nos corruptos!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, direto de Washington, fala sobre Temer e a Lava Jato



O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, apresenta em primeira mão a íntegra da palestra do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, nesta segunda-feira, 17 de julho, no Brazil Institute do Woodrow Wilson Center, em Washington. Ele afirmou que o Ministério Público não tem pressa para apresentar uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer. Assista.

No fim de junho, Janot apresentou uma denúncia contra Temer por corrupção passiva, com base nas delações premiadas de executivos da J&F. Mas há outras acusações, que podem significar novas denúncias. Formalizadas, devem seguir para apreciação da Câmara dos Deputados, que então decide por maioria (são necessários 342 votos) se autoriza ou não a investigação do presidente pelo Supremo Tribunal Federal.

Durante a palestra, Janot foi questionado se pretende apresentar uma nova denúncia (de tentativa de obstrução da Justiça e/ou participação em organização criminosa) antes do final do seu mandato à frente da PGR, em setembro. Ele respondeu que as apurações devem levar o tempo necessário para levantar provas sobre a existência dos supostos crimes.

"O MP não tem pressa e nem retarda denúncia. Existem investigações em curso e essas investigações, uma está mais adiantada que outra, e se até o dia 15 de setembro, último dia útil do meu mandato, eu obtiver esse quadro definido, eu não posso deixar de fazer isso [apresentar a denúncia], sob pena de prevaricar, de não praticar meu ato de ofício", afirmou o procurador-geral.

"Nós não temos a necessidade de oferecer uma denúncia, eu tenho a necessidade de apurar. Eu tenho necessidade de apurar e, convencido de que o fato é típico, e convencido da materialidade do crime e definida a autoria, aí sim partiremos para a fase do processo penal."

Indagado sobre como vai se sentir caso a Câmara dos Deputados rejeite a denúncia já apresentada (em sessão prevista para 2 de agosto), Janot afirmou que vai aceitar com a "maior naturalidade possível", pois cada poder tem sua função. "Cada um faz o seu trabalho. Eu não vou insistir nessa denúncia porque tecnicamente não tem como insistir. Não autorizou, ela vai ficar suspensa."

Segundo o procurador, se isso acontecer, o que resta é esperar o final do mandato de Temer para dar continuidade ao processo. "Se a Câmara autoriza, o processo penal segue o seu curso normal. Se a Câmara não autoriza, essa denúncia fica suspensa aguardando o fim do exercício da presidência da República para dar sequência", explicou.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Seis meses do governo Trump no #ProgramaDiferente



O #ProgramaDiferente desta semana registra os seis meses do presidente Donald Trump no poder. O que significou a surpreendente eleição deste personagem folclórico para a presidência dos Estados Unidos e qual é o impacto desse início de governo no Brasil e no mundo, com todas as suas polêmicas e atitudes que embrulham o estômago de quem sonha com um mundo melhor. Assista.

Das previsões catastróficas da campanha eleitoral, como a que fez o jornalista e cineasta Arnaldo Jabor, a análises exclusivas para o programa após o anúncio da eleição de Trump, em 9 de novembro, dos economistas Pedro Malan, Edmar Bacha, Eduardo Giannetti e Gustavo Franco, apresentamos um contraponto entre as expectativas e a realidade do governo deste que é o 45º presidente norte-americano eleito.

Veja ainda outras opiniões abalizadas sobre as primeiras medidas do governo Trump, feitas pelo agrônomo e economista José Eli da Veiga; pelo sociólogo e especialista em sustentabilidade, Sérgio Abranches; pelo jornalista Ricardo Amorim; e pelo filósofo Noam Chomsky.

Como curiosidade, trazemos a reação de jovens estudantes americanos e imigrantes sobre as propostas do novo presidente, registradas pelo youtuber Luan Kovarik nos Estados Unidos, e a opinião do bilionário chinês Jack Ma, fundador do grupo Alibaba, um dos maiores portais de vendas na internet. Que seis meses são esses, afinal, com Trump no poder?

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Enfim, o dia que o Brasil inteiro esperava: a primeira condenação de Lula por Sergio Moro na Lava Jato



No dia em que o ex-presidente Lula recebeu a primeira condenação do juiz Sergio Moro na Operação Lava Jato, no processo referente ao triplex do Guarujá (há outras ações, denúncias e inquéritos em andamento), vale a pena rever o #ProgramaDiferente especial da propinocracia, do escárnio e da mentira. Assista.

A condenação - em primeira instância, contra a qual Lula vai recorrer em liberdade - é de 9 anos e 6 meses de prisão. Na sentença, o juiz Sergio Moro cita documentos e depoimentos que comprovam que apartamento no litoral de São Paulo era destinado ao ex-presidente, diz que há 'provas documentais' e que Lula 'faltou com a verdade'. Leia a íntegra da sentença.

Vale também relembrar outras duas edições do #ProgramaDiferente: um especial com o juiz Sergio Moro e outro com o promotor Deltan Dallagnol. Aliás, você sabe como surgiu o termo "propinocracia" na imprensa? Leia aqui.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Os 50 anos do Tropicalismo no #ProgramaDiferente



Movimento libertário que revolucionou a cultura brasileira, com influência na música, nas artes, no teatro, no cinema, na moda, na política e no comportamento de toda uma geração, a Tropicália completa 50 anos em 2017 e ganha um especial do #ProgramaDiferente, com destaque para os tropicalistas Caetano Veloso, Gilberto Gil e Tom Zé, entre outros artistas que fazem história desde os anos 60. Assista.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

FAP promove 2º Encontro de Jovens Lideranças

De 11 a 15 de julho, a Fundação Astrojildo Pereira (FAP) promove o 2º Encontro de Jovens Lideranças na Colônia de Férias Kinderland, em Paulo de Frontin (RJ). Trata-se de um curso de formação política que contará com a presença de 120 jovens de todo o país, além de dirigentes do PPS, conselheiros e diretores da FAP e palestrantes convidados.

Estarão presentes, entre outros, o humorista e "casseta" Cláudio Manoel; o diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Sérgio Besserman; a atriz e cineasta Naura Schneider; o ex-ministro da Cultura e deputado federal Roberto Freire (SP), presidente nacional do PPS; o senador Cristovam Buarque (PPS/DF); o deputado estadual Conte Bittencourt (PPS/RJ); o deputado federal Arnaldo Jordy (PPS/PA); e os prefeitos de Vitória, Luciano Rezende (PPS/ES), e Rafael Diniz (PPS/RJ), de Campos. 

Entre os temas deste treinamento em regime de imersão política, dinâmicas de grupo para trabalho em equipe e exercícios de liderança, com um curso de formação política com carga horária de 12 horas, estão: ação coletiva, associativa e partidária; política e democracia no mundo contemporâneo; a trajetória da modernização brasileira; os desafios da mudança econômica na atualidade; da revolução à democracia: uma esquerda a inventar; e os desafios da democracia no Brasil.

A íntegra das palestras e atividades estará disponível na TVFAP.net (aliás, veja aqui como foi o 1º Encontro, ocorrido de 18 a 24 de fevereiro deste ano).

domingo, 9 de julho de 2017

É dia de Silvio Santos no #ProgramaDiferente



O #ProgramaDiferente acompanha o lançamento oficial do livro "Silvio Santos - A Trajetória do Mito" (Matrix Editora), já na lista dos mais vendidos nas livrarias de todo o Brasil, e entrevista com exclusividade o escritor Fernando Morgado, que curiosamente só conheceu Silvio Santos pessoalmente há poucos dias, convidado para o programa dominical do apresentador. O homenageado aprovou o trabalho, mesmo fazendo questão de afirmar que foi uma biografia não autorizada previamente. Assista.

Nascido no Rio de Janeiro em 1930, Senor Abravanel começou a trabalhar aos 14 anos de idade como camelô. Pouco tempo depois, ingressou no rádio e, mais tarde, na televisão, onde se tornou sinônimo de domingo com o "Programa Silvio Santos", no ar ininterruptamente desde 1963. 

Formou um grupo empresarial bilionário, reunindo desde uma popular indústria de cosméticos à sua própria rede nacional de televisão. Tentou ser prefeito, governador e até presidente. Cercou sua vida pessoal de mistérios, cultivados pela distância que mantém dos repórteres. Mesmo assim, ao longo da carreira, já causou polêmica ao opinar sobre diversos assuntos: de empreendedorismo até homossexualidade, passando por economia, sexo, drogas e política.

É isso que conta o livro: a trajetória do animador e empresário através de textos ágeis, declarações dadas por Silvio Santos ao longo das últimas seis décadas e uma completa linha do tempo. Cada capítulo revela uma faceta especial: seu tino para os negócios, sua longa carreira artística, seu estilo próprio de comandar o SBT, sua meteórica trajetória política e sua reservada vida pessoal. Combinados, compõem a figura de um mito, uma das maiores referências da comunicação no Brasil e no mundo.

sábado, 8 de julho de 2017

Exclusivo: Xico Sá, a letra X do "Abecedário Comuna" de Gregorio Duvivier, no #ProgramaDiferente



Lembrado como a letra X no "Abecedário Comuna", paródia que o humorista Gregorio Duvivier fez do pueril "Abecedário da Xuxa", o jornalista Xico Sá comenta com exclusividade sobre a "homenagem" no #ProgramaDiferente, opina sobre a crise política e diz se continua otimista com o futuro do Brasil. Assista.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Jornalista César Tralli, da Rede Globo, fala com exclusividade ao #ProgramaDiferente da TVFAP.net



O jornalista César Tralli, repórter e apresentador da Rede Globo, fala com exclusividade ao #ProgramaDiferente sobre o atual momento político do Brasil, assim como da importância da sua profissão. Assista.